Artigo

Psicanalista escreve sobre os direcionamentos do stress

Escrito por Cibele Carvalho em 08 de Abril de 2021
[Psicanalista escreve sobre os direcionamentos do stress]

Os direcionamentos do estresse

O que dizer sobre o estresse?! Muitas vezes uns definirão que é um momento de alta tensão em um diálogo. Outros irão pensar que foi gerada após uma briga. Mas, e como sair desses momentos? O que aprender com eles? Em quanto tempo iremos entender o que de fato gerou tal situação e, assim, sair de tal estado mais rapidamente?

O estresse muitas vezes é iniciado diante de situações as quais geramos imensas expectativas. Sabemos que sempre iremos gerar expectativas em cima de situações. A questão não é essa, mas entender como e a maneira a qual fazemos.

Viver em sociedade ter relações dos mais diferentes níveis e nos mais diferentes direcionamentos acabam gerando sentimentos e pensamentos os quais precisamos o máximo possível racionalizar. Quando isso acontece conseguimos controlar melhor nossos estados de tristeza e possíveis estados depressivos. Racionalizar não é fácil. Mas é possível diante de muita observação de si mesmo. E como fazer isso?! Tem que exercitar nosso comportamento através de situações do nosso cotidiano.

Um bom exemplo de um ambiente que por vezes pode vir a gerar muita tensão é no trabalho. Vale ressaltar que é o local onde passamos uma grande parte de nosso dia. Estar envolto com pessoas que possuem referências e vivências diferentes vez ou outra irá trazer tensão por divergências de pensamento. Nesses momentos precisamos fazer um exercício: entender se o que a pessoa me fala de fato é para mim ou se é somente um desabafo. E sendo algo para mim, será que a forma como a qual ela está falando é o jeito dela ou de fato ela quer ser agressiva comigo? Já adianto que não é fácil. Não é algo que acordamos e já conseguimos descomprimir tão rapidamente. Mas à medida que conseguimos é extremamente libertador pelo simples motivo de entender melhor o outro e, acima de tudo, nos entender melhor.

Outra observação que desejo fazer é que ninguém quer conviver com pessoas extremamente estressadas, mas é possível você perceber também qual seu limite. Todos possuímos um e é necessário avaliar como de fato conseguimos lidar com ele. O limite uma hora acaba. Quando ele acaba não há mais volta. O surto acontece e é disparado pelo cérebro tantos gatilhos emocionais e químicos que segurar passa a ser quase que impossível.

Por isso, nós precisamos perceber quem de fato somos e como podemos lhe dar com toda e qualquer situação para conseguirmos de fato trazer a racionalidade necessária amadurecendo com as frustrações. Mas sendo necessário a ajuda de um profissional sempre é muito bem-vinda.

Cibele Carvalho

Psicanalista 
Especialista em Neuropsicanálise 
Mestranda em Psicanálise pela Universidad Kennedy de Buenos Aires, Argentina
Professora da Rede UNIFTC
Auriculoterapeuta 
Hipnóloga Clínica

Compartilhe!