Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Notícias

/

Polícia

/

Pastor estupra criança em troca de par de chinelos usados e vídeo game

Polícia

Pastor estupra criança em troca de par de chinelos usados e vídeo game

Por: Pesquisa Web

Segundo delegado, a criança contou que o tio-avô ofereceu um par de chinelos usados e vídeo game em troca de sexo

Um homem de 52 anos, que se identificou como pastor evangélico, foi preso na noite desta segunda-feira por estuprar o sobrinho de 10 anos, no bairro Buriti, em Campo Grande, mato Grosso do Sul. A criança contou à polícia que o tio-avô ofereceu a ela um par de chinelos usados e deixaria o usar um vídeo game por horas caso mantivessem relações sexuais, segundo a TV Morena.

De acordo com o delegado Reginaldo Salomão, a criança foi deixada na casa do irmão da avó, onde estavam outros três primos, para que os pais pudessem trabalhar. Um dos primos, um jovem de 20 anos, ficou intrigado com a curiosidade dos outros primos em olhar pelo buraco da fechadura de uma porta que dava para outro cômodo da casa e percebeu que o menino havia desaparecido.

O rapaz foi verificar o que estava acontecendo e flagrou a criança praticando sexo oral no tio. Ele ligou para os pais da vítima e comunicou sobre a violência sexual. Os pais da criança, ele e a avó foram até a delegacia para registrar a ocorrência.

Ainda segundo o delegado, a criança confirmou a versão dita pelo primo e contou que o tio ofereceu um par de chinelos usados e um vídeo game para que a criança pudesse manter relações sexuais com ele. O garoto ainda disse que teve de devolver o par de chinelos porque era de um outro primo.

O suspeito foi conduzido à uma delegacia policial e confessou que estuprou o sobrinho, mas não contou detalhes sobre o crime. Segundo o delegado, ele estava em livramento condicional desde agosto do ano passado. Ele cumpria pena em regime fechado por ter estuprado outra criança da mesma idade da que violentou na noite desta segunda-feira.

"Ele confessou a violência sexual e se declarou como pastor de uma igreja. Ele ainda disse que fez pela glória de Deus e não contou detalhes sobre o crime ", contou o delegado à TV Morena.

Relacionados